segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

2016: o meu ano literário em revista


No ano de 2016 conheci 26 novos autores: Loretta Chase, Jennifer Haymore, Luize Valente, Lee Child, Elizabeth Edmonson, Bridget Asher, Johanna Lindsey, Sandra Brown, Jude Deveraux, Colleen McCullough, Natasha Solomons, Liz Fenwick, Sebastian Cole, Bella Andre, Louisa May Alcott, Jane Austen, Jo Baker, Amanda Hocking, João Pinto Coelho, Audrey Carlan, Catherine McKenzie, C. W. Gortner, Alberto S. Santos, Annie Murray e Sarah MacLean.

Adorei os livros de Loretta Chase: "Sedução de Seda" e Sonho de Cetim", apaixonei-me por Jude Deveraux e pela sua saga "Edilean" e gostei bastante dos livros históricos de C. W. Gortner com destaque para "O Juramento da Rainha" sobre Isabel de Castela.

Dos autores que já conhecia, adorei "Ligeiramente Indecente" de Mary Balogh, "Perto do Paraíso" de Judith McNaught, "A Maldição do Rei" de Philippa Gregory e "O Segredo Mais Bem Guardado" de Jeffrey Archer. Voltei a Danielle Steel que superou as minhas expectativas com "Mistérios do Sul" e "Feliz Aniversário". Elizabeth Adler supreendeu-me pela positiva com "Sombras de Paixão" e Lesley Pearse foi arrebatadora com o seu "Confia em Mim". Destaque ainda para a saga "Quarteto de Noivas" de Nora Roberts, divertida e muito interessante, para a saga "The Rules of Scoundrels" de Sarah McLean, para Julia Quinn com "A Caminho do Altar" e para a portuguesa Carla M. Soares com "O Cavalheiro Inglês". 

Os melhores livros do ano, para mim, foram "Confia em Mim" de Lesley Pearse", "Sedução de Seda" de Loretta Chase e os livros de Danielle Steel a par do "Quarteto de Noivas" de Nora Roberts.

Em sentido inverso, não gostei nada de "Longbourn" de Jo Barker que considerei aborrecido e "O Olhar do Amor" de Bella Andre que não tem grande história, apenas cenas eróticas. "Uma Obsessão Indecente" de Colleen McCullough também não me convenceu, é um livro denso que se torna algo chato.

Li 13 livros da estante (o desafio era ler 10), menos 5 do que tinha lido no ano passado. Relativamente ao desafio comprar menos que deixou de ser apenas "comprar um máximo de 2 livros" para passar a ter uma alternativa que era "não gastar mais de 20€ em livros", consegui atingi-lo em 7 meses do ano (mais 3 do que no ano anterior). Isso só foi possível porque tentei comprar menos e também porque passei a virar-me mais para os ebooks. De salientar que, em termos de gastos, gastei em livros cerca de metade do valor que tinha gasto em 2015 o que já foi um passo importante.

Em 2016 comprei um total de 24 livros, menos 12 do que no ano anterior e li um total de 60 livros, dos quais 35 foram em ebook, sendo já ligeiramente mais de metade das leituras do ano. Não li nenhum livro de não ficção.

Em geral posso dizer que foi um ano de leituras variadas e de vários autores: passei pelo romance, pelo erótico, pelo romance histórico, pelo thriller e pela fantasia. Li até um livro um pouco mais pesado que foi "Perguntem a Sarah Gross" de João Pinto Coelho.

Sem comentários:

Enviar um comentário